Home / Post / Decida ser feliz

Decida ser feliz

Embora, seja comprovado, em inúmeras pesquisas, que um percentual extremamente pequeno de pessoas leem além do primeiro parágrafo seja de um artigo, ou mesmo de um documentário que, ‘acabaram’ de começar a ler, posso afirmar, com convicção, de que com este não acontecerá o mesmo. Não acredita? Pois eu garanto. Isso se dá, ao fato de que esta leitura, irá possivelmente, de forma consciente ou inconsciente, lhe ajudar a modificar seu mapa interno de experiências, e fazendo com que você automaticamente, tenha por si só atitudes positivas, novas e melhores, diante de situações que até então lhe causavam incômodo.

Ligue sua mente, sintonize de maneira consistente todos seus modos de recepção e percepção, para de maneira mais cómoda e eficaz, armazenar essas importantes informações que esta prestes a tomar conhecimento, isso certamente melhorará sua vida a âmbito sumariamente irracional.

Bem, estamos vivendo uma moda pragmática de falarem sobre leis, aliás, leis que todos falam, porém ninguém, ou poucas pessoas compreendem, uma lei específica que vou lhes esclarecer é a “Lei da Atração”, já ouviu falar? (certamente que sim), o que há de verdade e proveitoso nisto? Todos falam mais e mais desta lei, porém não sabem dizer o real significado, o que de fato ela representa. Com base na ciência da Programação neurolinguística, vou lhes fazer experimentar no sentido, de usar esta poderosa ferramenta de maneira totalmente aceitável.

Vou lhes falar sobre um conceito novo, se atente para ver claramente. Certa vez provavelmente já tenha acontecido em sua vida; ter entrado em um restaurante ou super-mercado e a recepcionista lhe tratado de maneira hostil e agressiva, tão certamente veio ao seu inconsciente a ideia, “essa é uma má pessoa”. Porém de fato não é totalmente verdade, instintivamente ninguém tem vontade de parecer “má pessoa”, o que certamente pode ter acontecido para que está pessoa lhe tratasse de maneira rude tem inúmeras possibilidades, uma delas, imagine que antes de você a recepcionista tenha atendido um cliente “daqueles”, ou que estivesse lembrando-se sobre problemas pessoais, contas atrasadas, doenças, enfim, você não é o que você faz e sim o que você acredita ser, a recepcionista de fato não era uma pessoa ruim, e sim se encontrava em um estado de recursos sem recurso, a única coisa que determina as suas atitudes momentâneas perante as situações é simplesmente seu estado de recursos no momento. Para que entenda melhor façamos um experimento agora, procuro em sua memória agora, algum momento em que se sentiu extremamente auto-confiante, ao ponto de possuir a convicção de que poderia conseguir fazer qualquer coisa que tivesse vontade, vamos lá, tente isso, parte da sua melhora depende disse experimento, tenho certeza de que já se sentiu auto-confiante várias vezes na vida, estou querendo que lembre de apenas uma. Após ter escolhido em sua memória a ocasião que se sentiu mais auto-confiante, continue imagine a cena, olhando através de seus próprios olhos o mais claramente possível, lembre das pessoas que estavam presentes, do motivo que foi foco e do motivo bem sucedido, acredito com convicção que você já esteja começando a ter as mesmas sensações as quais teve no momento da recordação,pessoa auto-confiante, eu sei que naquela ocasião você tinha acesso as melhores informações, e respostas no seu inconsciente, e tinha também a rapidez extrema no sentido de achar muito rapidamente as informações, em outras palavras, estava sob efeitos semelhantes a o que seria uma “super-pessoa”, uma pessoa melhor do que geralmente você é. A noticia ótima que tenho à lhe dar é que; é possível ser sempre auto-confiante ou seja é possível estar constantemente no estado de recurso provido das melhores ferramentas momentâneas possíveis no inconsciente (sendo que nosso inconsciente representa 95% do poder cerebral).

Para evocar, tirar proveito deste poder é necessário o conhecimento de algumas informações, 1ª suas reações momentâneas variam de acordo com estímulos momentâneos internos (o que pode fazer com que você diante de uma mesma situação poça ter uma infinidade de reações diferentes) 2ª o que define seus estímulos momentâneos internos é o estado de recurso o qual se encontra (ou seja, para reagir de forma melhor diante as situações é preciso se encontrar em um estado de recurso com os melhores dos seus recursos) 3ª saber que você tem total domínio sobre seus estados de recurso. Muito embora pareça um pouco complicado, é importante ter idéia que não precisa se preocupar em saber os significados de todas essas palavras diferentes, apenas concentre-se em observar a ideia geral, isso será o bastante para obter êxito.

Vamos juntar a coisa toda, quando fiz com que voltasse no tempo no momento em que se sentiu auto-confiante, isso fez com que trouxesse novamente a mesma sensação de auto-confiança, e consequentemente o mesmo estado de recurso abonado de melhores reações possíveis (melhores respostas, melhores ideias, melhor comunicação) no momento. Essa é na verdade uma das melhores armas a qual pode ser usada contra os famosos “baixos astrais”, você já sabe que lembrando de momentos em que se sentiu bem (auto-confiante, criativo, comunicativo, habilidoso) e vivificando a lembrança do acontecimento você consegue trazer à tona os mesmos “poderes” os quais dispunha no momento, então, se programe para sempre que estiver em um mau estado de recurso (exemplo da recepcionista), lembre se de usar está nova habilidade que agora dispõem, você não precisa ficar a mercê de reações que parecem involuntárias, que você acha que não tem controle. AGORA você tem o controle, como? Evocando os bons estados de recurso, lembrando dos momentos em que estava ótimo, assim você volta a reassumir o estado ÓTIMO a qualquer momento da sua vida, OU EM TODOS OS MOMENTOS DE SUA VIDA.

Bem, há próxima ocasião, lhes informarei como fazer este procedimento ao qual foi referido até agora, porém, de maneira mais automatizada, melhorada, até então desejo a todos um excelente estado de recurso!

“Tempo, seu bem mais valioso.. Obrigado por dividi-lo comigo”

FIM

Autor; RafaeL SeiferT Dutra